Viagens, intercâmbio, Nova York e tudo o que você sempre quis saber sobre morar fora do Brasil.

Galpão Gigantesco no Brooklyn traz Bandas Indie, Comidas, Drinks e Arte

Quer fazer algo diferente nas noites de final de semana mas não consegue decidir entre comer, comprar, beber, dançar ou jogar? Sem problemas, o Brooklyn está aqui para isso com o Brooklyn Night Bazaar em GreenPoint.

O Brooklyn Night Bazaar é um galpão de mais de 2.000 metros que fica aberto de sábados e domingos das 19:00 às 01:00. Lá você encontra comidas locais, artesanato hipster e moderno, jogos de fliperama e mini-golfe, bandas indie tocando em um palco e, claro, cerveja. Quer coisa melhor?

Enquanto os meninos jogam uma partida de ping pong, as meninas aproveitam para comprar uma coisinha ou/e outra (comprinhas super fofas, prometo!), depois todos se encontram felizes e contentes para tomar uma e curtir um som novo. Sério, o Brooklyn Night Bazaar é uma das melhores pedidas para quem quer fazer algo mais tranquilo e diferente em Manhattan.

Confira o calendário das bandas no site oficial. A entrada é grátis mas dependendo do horário/dia/banda a fila na porta pode ser um pouquinho grande.

brooklyn-night-bazaar-7

brooklyn-night-bazaar-6

brooklyn-night-bazaar-5

brooklyn-night-bazaar-4 Continue lendo

Homem vive por 10 dias em uma roda de hamster

Parece mentira, rá! Mas não… Estou aqui tentando entender o que leva essa nova forma de “arte” acontecer, mas é algo que só Williamsburg (o bairro hipster de Nova York) pode explicar. Resumindo, é isso mesmo que você leu no título: uma pessoa voluntariamente resolveu morar em uma roda de hamster tamanho gigante por 10 dias.

Os responsáveis pelo feito são Ward Shelley e Allex Schweder em uma roda de quase 8 metros de altura construída de madeira, aço e móveis. Eles irão morar na instalação artística durante as 24 horas dos próximos 10 dias, começando amanhã dia 28 de Fevereiro, até dia 9 de Março. E os curiosos podem dar uma espiadinha na situação (e que situação!) no Espaço Boiler da Pierogi Gallery.

Como você reparou, não apenas uma pessoa, mas duas decidiram fazer isso. Cada um dos artistas vai morar de um lado da roda, um do lado de fora e o outro do lado de dentro. E parece que a estrutura conta até com banheiro, agora imagina quando o banheiro girar para a parte de cima e ficar de ponta cabeça na roda… É, eu não quero imaginar.

ShelleySchwedercardevite

Apesar dos artistas dizerem que irão ficar na roda 24 horas, o horário de visitas é apenas das 12:00 às 18:00. Você pode visitar a instalação “In Orbit” (Em Órbita) em Nova York no Espaço Boiler. Anota o endereço: 191 N. 14th Street entre a Berry Street e a Wythe Avenue. Mais infos no site aqui!

Onde tomar um café decente perto do metrô em NY?

Chega de referências à Starbucks em filmes que se passam em Nova York! Os nova-iorquinos estão cansados da perseguição da sereia verdinha e preferem cafés mais “autênticos”. Café que é bom é aquele bem local, apertadinho, estiloso, com dezenas de pessoas com seus MacBook Pros lutando para sentar perto de uma tomada e, de preferência, àquele com tijolos expostos e baristas hipsters.

Então, em Nova York, visite sim a Starbucks (não vou dizer que não!), mas tenha a experiência de visitar um desses coffee shops locais. E como eles não são a Starbucks e, infelizmente, não nos perseguem pelas ruas, aqui vai um mapa para solucionar o problema e organizar os melhores coffee shops por perto de cada uma das paradas do metrô. Em sua maioria, são cafés pequenos e independente, mas que você pode ter certeza que são ótimas pedidas.

Cada uma das paradas do metrô corresponde a um café que fica naquela região (não fica logo na saída do metrô, mas alguns deles, a algumas quadras). Meus favoritos? Gimme!, Blue Bottle, Grumpy (claro!!!), La Colombe Torrefaction (os deliciosos brownie-cookie são um pecado), Bene (onde passei 1/4 do tempo durante a minha tese do mestrado), O’rens, Grey Dog e Aroma! Sim, eu sou bem fã de um bom café como você pode perceber. :P

E aí, vai um cafézinho?

020514coffeemap

Tours em Nova York: The Ride, a experiência!

Aqui em Nova York é comum sair pelas ruas a fim de desbravar as lojas e restaurantes, prática não muito comum na outra cidade grande onde morava, São Paulo. Isso porque em Sampa tudo acaba sendo longe ou dificultado pelos sobes e desces das ladeiras. O carro dificilmente permite observar as pequenas lojinhas escondidas em ruelas.

Assim, morando agora em uma cidade plana com comércio em cada rua, um dos meus passatempos favoritos é escolher uma rua e ir entrando em cada restaurante, café, loja, galeria que acho interessante.

Mas se fechar em ruas-por-ruas deixa você sem ver o todo. Então, de tempos em tempos, para conhecer um pouco mais sobre a cidade de Nova York e descobrir mais spots interessantes, escolho um tour pela cidade e faço.

Foi assim que participei do “The Ride”, o mais novo tour de Nova York. Mas o que ele tem diferente dos ônibus turísticos comuns?

“The Ride” é um passeio em Midtown Manhattan que mistura tour com show. Os guias são atores e comediantes e as ruas de Nova York se transformam em um palco com surpresas em cada esquina e com você sentado na primeira fileira, como um teatro.

O passeio se move através da cidade, voltando-se a marcos famosos de NYC e projetando cenários, como em um show ao vivo. Isso porque nesse ônibus mega tecnológico, as janelas conseguem cobrir o chão e o teto, e suas poltronas são viradas de lado. O passeio é realmente diferente de um tour careta padrão e transforma a maneira de ver Nova York.

Continue lendo

O que você precisa saber para fazer um curso de inglês nos Estados Unidos

Essa dica é importante para todos que sonham em estudar no exterior. Seja em Nova York, seja em qualquer lugar. Vou contar como foi que fui aos pouquinhos fazendo minhas escolhas até encontrar dois cursos que se encaixavam perfeitamente no que eu estava procurando.

Minha ideia inicial sempre foi morar em Nova York por um tempo. E aproveitando que já estaria lá, aprimoraria meu inglês e faria cursos relacionados as áreas de meu interesse.

Escolher o curso de inglês foi mais simples, existem inúmeras escolas e os cursos são bem parecidos. O seu nível, você só saberá no primeiro dia de aula quando terá que passar por um teste para saber em que classe irá ficar e também o horário da sua turma.

Estudar inglês nos Estados Unidosphoto credit: jovike via cc

Assim, dei uma procurada por “cursos de inglês em Nova York” no Google para ver o que aparecia. Existiam alguns bem estranhos, outros melhores e mais confiáveis. Cursos de inglês dentro de faculdade também pareciam interessantes, os chamados “ESL – English as a Second Language”, mas a burocracia para esses também era maior. Você tem que passar por um processo seletivo bem parecido com o de qualquer outro curso da faculdade e respeitar o deadline restrito deles. Por conta própria, acabei conseguindo ter um panorama geral das escolas de inglês que existiam pela cidade, mas ainda não estava 100% segura sobre elas.

Acabei indo ao STB para saber mais sobre os cursos e escolas e me sentir mais confiante sobre as minhas escolhas. O que aconteceu é que o processo pelo STB era muito mais simples, além de eles terem parceria com a escola que eu já tinha em mente. Acabou facilitando muito e não digo isso porque escrevi para a STB por alguns anos aqui agora, fechei todos os meus cursos com a agência bem antes da oportunidade de blogar para eles.

Aprender inglês em Nova Iorquephoto credit: Abizern via cc

Vi que não era um bom negócio fechar diretamente com a escola por conta da grande burocracia e tempo de espera (bem maior!). Para fazer a inscrição em qualquer escola, você deve responder alguns formulários e também comprovar que possui fundos suficientes para se manter na cidade (aluguel + alimentação + transporte + lazer + outras despesas) durante o período da sua estadia. Com o visto de “estudante” não é permitido que você trabalhe nos EUA, em outros países – como Inglaterra e Austrália – a lei é diferente. Só assim eles enviarão um formulário chamado de I-20 que é necessário para poder tirar o F1, também conhecido como “visto de estudante” (mais detalhes sobre visto norte-americano Aqui!). Com o STB não era necessária toda essa burocracia, pois eles já tem um contato mais direto com as escolas e além disso dá para dividir o valor do curso (coisa que não aconteceria se eu fechasse diretamente pela escola). Continue lendo

Visite o famoso “Empire State Building”

Assim como toda cidade, alguns pontos de Nova York você TEM obrigação de conhecer. Mas quando você vai para uma cidade para morar, seja como estudante ou para trabalhar, os principais pontos turísticos vão ficando para depois. Diferente ded quem vêm para turistar e quer fazer TUDO em poucos dias, o comportamento de quem vêm para morar outro. Você vai “curtindo” cada pedacinho da cidade, sem se preocupar com tanto assim com as landmarks.

E foi assim, nesse “ainda tenho muito tempo”, que mesmo me mudando em Março de 2010 para Nova York, fui subir no topo do Empire State Building só em Junho quando dois amigos, Diego Maia e Tati Contreiras, passaram por aqui. Aliás, uma das coisas mais gostosas de ter amigos visitando a cidade é que eles estão super afim de fazer os passeios de turista. Então é batata, eu não me apresso, deixo uns passeios na manga e posso aproveitá-los para curtir com a galere (ainda não fui na ilha da Estátua da Liberdade, acredita?!?).


Empire State Building é realmente um dos pontos turísticos que precisa ser visitado. É do 86º andar que você percebe como Nova York é tão grande e tão pequena ao mesmo tempo. É onde você se dá conta que estamos cercados por água de todos os lados, coisa que parece não fazer o menor sentido quando você está no meio de Manhattan.

O “monumento” fica localizado na esquina da Quinta Avenida com a Rua 34. Chegando lá começam as filas, então lembre-se de reservar um tempinho além do planejado para ficar na espera. Ah, se você estiver usando o CityPass que eu falei nesse post Aqui! você escapa de uma das filas. Depois de passar pela bilheteria é hora de pegar o elevador. Aliás dois elevadores, porque o prédio é tão alto que você troca de elevador no meio do caminho! Mas não se preocupa não, é tudo muito bem organizado.


Seu nome é uma homenagem ao estado de Nova York, também conhecido como The Empire State. Ele foi o prédio mais alto do mundo por mais de 40 anos. Após o atentado de 11/9, ele voltou a ser o prédio mais alto de Manhattan (mas com a inauguração da Freedom Tower, ele voltará para a segunda colocação!).

DICA: Eu super aconselho guardar essas duas dicas quando for visitá-lo: um dia sem nuvens e, de preferência, chegar um pouco antes do pôr-do-Sol, assim você terá a mais incrível vista da cidade, tanto do dia, como da noite. Não é a toa que a American Society of Civil Engineers nomeou The Empire State Building como uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno.

Se você vêm passar uns dias na Big Apple e quer visitar as principais atrações de Nova York, eu SUPER aconselho comprar o CityPass AQUI! que já vem com ingresso para o Empire State Building e você não terá que enfrentar a fila gigantesca que normalmente têm lá para comprar. Se você já conhece ou não tem interesse em visitar muitas das atrações oferecidas pelo CityPass, você pode comprar o ingresso para o Empire State Building online com desconto AQUI!.

Lá na hora não tem desconto… Aliás, minha prima foi quase “roubada” por pessoas na porta do Empire State Building vendendo ingressos mais caros do que se você comprasse dentro do prédio na bilheteria oficial, então fique esperto!!

 

*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—*—

The Empire State Building Observatory
Endereço: 
350 Fifth Avenue, entre 33rd e 34th Streets (Midtown) em Manhattan, Nova York

Horário: Aberto diariamente, 365 dias por ano.
Das 8:00am às 2:00am
O último elevador sobe às 1:15am

COMPRE AQUI! por apenas US$27 para adultos e US$19 para crianças de 6 a 12 anos de idade.

(Post originalmente publicado no blog Embaixador STB)

Como aplicar para universidades norte-americanas | Curso Online – Não perca!

O Coursera, sites de cursos online que conta com parceria com grandes universidades dos Estados Unidos e do mundo, está oferecendo uma aula de “Como aplicar para universidades norte-americanas”. 

O curso “Applying to U.S. Universities” foi criado pela Universidade da Pensilvânia (Ivy League, uma das melhores dos EUA!!) para ajudar as milhares de pessoas que como eu têm o sonho de fazer uma faculdade ou pós-graduação nos Estados Unidos. Se esse também é o seu sonho, mesmo que seja para o futuro, não deixe de se inscrever nessa aula online – que é completamente gratuita – e acompanhar os vídeos para entender o processo. O processo de inscrição em uma universidade no exterior é completamente diferente do processo no Brasil. Mesmo nos Estados Unidos, o processo é diferente entre as faculdades americanas e mesmo na mesma faculdade, existem processos diferentes entre cursos diferentes.

penn1

Por exemplo, eu e meu namorado aplicamos para fazer pós-graduação na New York University. Ele aplicou para MBA e eu para MPS. Entre os requerimentos para o curso dele estavam o GMAT e duas redações diferentes, entre diversas outros documentos, currículo e etc. No meu caso, eu não tive que fazer o GMAT, mas o TOEFL (pois sou estudante internacional), preparar um portfólio online e escrever apenas uma redação (entre diversos outros documentos, mas essas eram as diferenças mais drásticas).

Bom, já deu para entender como cada curso e faculdade tem requerimentos diferentes e, por mais que eu queira ajudar as centenas de leitores que me mandam emails com dúvidas sobre como aplicar para uma facul, é impossível.

penn3
Mas se você acha que só mandar os documentos eles pedem bonitinhos que está tudo certo, não é bem assim. Esse curso fala também do que o pessoal das faculdades estão procurando em um candidato e o que eles olham enquanto analisam a sua candidatura. Além disso outros assuntos abordados no curso são:

  • Faculdades procuram alunos que irão se encaixar na cultura da faculdade e porque isso é importante
  • Usando rankings para decidir em que faculdades aplicar
  • Como universidades avaliam candidaturas de maneiras diferentes
  • Entrevistas com diversos profissionais que olham e escolhem as candidaturas
  • A importância da redação onde você fala porque quer cursar aquela faculdade (self-assessment)
  • Optando por cursos não acadêmicos
  • Identificando suas qualidades e pontos de fraquezas
  • Criando uma lista das escolas para aplicar
  • Conseguindo ajuda no seu país para bolsas de estudo e assuntos em geral
  • Como pesquisar faculdades e tirar proveito dos recursos da pesquisa
  • Como escrever uma boa candidatura para faculdade
  • Conseguindo boas cartas de recomendação
  • Entender os formulários e documentações importantes para o processo seletivo

penn2

A maioria dos cursos que eu fiz na Coursera conta com legendas em português. Não consegui descobrir se esse também, mas em todo caso tem legenda em inglês, é ótimo para já ir treinando seu inglês!

O curso online começa dia 16 de Março, mas é possível também pegar o curso já começado e assistir os vídeos. Não perca essa oportunidade! Aqui tá o link para o curso, agora só depende de você!

Senhoras e Senhores… os Beatles em Nova York!

Há exatamente 50 anos atrás, no dia 7 de Fevereiro de 1964, os Beatles chegavam para sua primeira apresentação nos Estados Unidos. No aeroporto internacional de Nova York, John F. Kennedy, o quarteto foi recebido por 100 membros da polícia NYPD, 200 jornalistas e mais de 4.000 fãs completamente enlouquecidas pelos quatro jovens.

The-Beatles-Beatlemania-NYC-UntappedCities-NYPL-Performing-Arts-Donald-and-Mary-Oenslager-Gallery-Christopher-Inoa

The-Beatles-Beatlemania-NYC-Untapped-Cities-Christopher-Inoa-NYPL-50th-Anniversary

The-Beatles-Beatlemania-NYC-NYPL-Lincoln-Center-NYC-Untapped-Cities-Christopher-L.-Inoa-

Os Estados Unidos passavam por uma época conturbada. Com a guerra ainda rolando e o presidente da nação, JFK, tendo sido assassinado 77 dias atrás, o quarteto comandado por John, Paul, Ringo e George, chegou para aliviar a tensão e servir de distração para os problemas super sérios que estavam acontecendo.

The-Beatles-Beatlemania-NYC-NYPL-Untapped-Cities-Christopher-Inoa-Lincoln-Center

The-Beatles-Beatlemania-NYPL-Lincoln-Center-Christopher-Inoa-Untapped-Cities-NYC
A performance dos músicos aconteceu no The Ed Sullivan show e mais de 70 milhões de pessoas ligaram seus televisores para conferir o feito ao vivo, um recorde para a época.

The-Beatles-Beatlemania-NYC-Lincoln-Center-NYPL-Performing-Arts-Center-NYC-Christopher-Inoa
Hoje, 50 anos depois, a NYPL – The New York Public Library for the Performing Arts inaugura uma nova exposição mostrando a chamada Beatlemania e a conquista do grupo pela cultura pop norte-americana de 1964 a 1966. A exposição intitulada “Ladies and Gentleman… The Beatles!” (“Senhoras e Senhores… Os Beatles!”) é uma coloboração entre a NYPL, o GRAMMY Museum® e Fab Four Exhibits e explora profundamente o fenômeno cultural de cultura pop que foi os Beatles.

A mostra é gratuita para o público e ficará aberta até 10 de Maio de 2014, na New York Public Library for the Performing Arts, no Lincoln Center da cidade de Nova York. Continue lendo

Os 10 mandamentos do intercambista

Morar em outro país tira você da sua zona de conforto. Culturas diferentes trazem costumes diferentes. Abrace essas diferenças e tire proveito delas. Sinta-se um peixe fora d’água! Esse friozinho na barriga do desconhecido é a sua deixa para explorar esse novo mundo cheio de experiências diferentes. ISSO é o intercâmbio!

Diferenças culturais estão presentes mesmo dentro do nosso Brasil. Por exemplo, em São Paulo as pessoas cumprimentam com um beijo no rosto. No Rio de Janeiro, são dois beijos. Já nos Estados Unidos, se cumprimenta apenas um aperto de mão, ou se você já for bem amigo da pessoa, um abraço.

medium_9761971126

Esse tipo de coisa você só nota quando se encontra em uma situação de troca cultural, não tenha medo delas e sim force essas situações. Para tirar o maior proveito do seu intercâmbio, tenha em mente esses 10 mandamentos que eu preparei de acordo com minha própria experiência como intercambista.

Telão na Times Square

1- Observe

Se você ainda não está seguro de como agir, não ignore o que acontece em volta de você. Observe. Veja como as outras pessoas se comportam, abra os olhos e sinta as diferenças – que muitas vezes podem ser sutis.

2- Não tenha medo do “novo”

Nós adoramos comodidade e muitas vezes temos medo de mudanças. Mas o intercâmbio é exatamente uma época de aprendizado e exploração. Tire o maior proveito possível saindo da sua zona de conforto e experimentando o novo. Essa é a hora onde você faz seu intercâmbio valer a pena.

nova-york-vista Continue lendo

Bairros de Nova York: Visite o Chelsea

Aqui no blog, além de contar sobre minhas experiências morando em Nova York, procur0 sempre dar dicas incríveis para ajudar os leitores a explorar a cidade. De tempos em tempos, pego algumas dessas dicas – e outras mais – e reúno em um post detalhando melhor os bairros de Nova York, ajudando assim a você montar seu próprio tour pela cidade.

Já passou por aqui o Upper West SideHell’s Kitchen e a região da Times Square. Agora é a vez do Chelsea, um bairro que passou por diversas mudanças e revitalizações nos últimos anos e hoje é um destino chique e não tão explorado entre os turistas.

Chelsea é a região que fica no lado Oeste (West Side), começando na 7ª Avenida e indo até o Rio Hudson. De Norte a Sul, ele vai da Rua 30 até a Rua 14 (30th Street to 14th Street). A região é primordialmente residencial, contando com diversos predinhos tipicamente americanos e complexos residenciais.

Porém, como disse, o bairro continua em puro desenvolvimento e recebe hoje diversas startups (o Google e o Vimeo, por exemplo), novos prédios de apartamentos com arquiteturas ultra modernas e hotéis luxuosos.

Sobretudo, o que me fascina no Chelsea são as dezenas de galerias de arte espalhadas pelas ruas. Isso porque o bairro antigamente era uma área industrial. Com o tempo por conta de diversas complicações sociais e ambientais, essas indústrias fecharam e a região continuou com seus enormes armazéns.

Lugar perfeito para artistas que precisavam de espaço para expor sua arte.

Escultura em Lego de Nathan Sawaya que vi na Agora Gallery

Pequenas, tranquilas e com excelentes exposições, as galerias do Chelsea são um must-do em NY e a região é indispensável para os amantes de arte. Minha galeria favorita é a Agora Gallery, sempre que vou lá me surpreendo com os quadros e esculturas, totalmente incríveis. Continue lendo